Bailarinas



Foto: Florian Kleinnfenn

BAILARINAS
(Rita Costa)
.
Algumas palavras...
são como flores do campo,
que vivem na intenção dos ventos...
quase nunca sendo vistas.
Às vezes sinto haver
buquês dessas em mim...
há as que escapam nos gestos
e as que anseiam, no silêncio,...
a coreografia dos versos,
sem jamais serem escritas.
.
.
.

19 comentário(s):

Lenita disse...

Há muitos buquês dessas palavras em mim...
Lindo!
Beijos

Bruxinhachellot disse...

"...palavras...que vivem na intenção dos ventos"
Um bailado harmonioso fazem dessa poesia uma obra de arte.
As portas do Labirinto estarão sempre abertas para quando desejar conhecer seus caminho.

Beijos desejosos.

Sociedad de las Palabras Perdidas disse...

http://www.aquellaspalabrasperdidas.blogspot.com

Poesía, literatura fantastica y rock under.

D'Gratiz disse...

ai manow
tem um meme la pra vc
abraços

♥M@cellY♥ disse...

Caí aqui por acaso e estou mega feliz de estar aqui.
Linda poesia....

Prometo que volto!

Jeniffer Santos disse...

concordo...
e tb há mt desses em mim xD

beijos e bom fds!

Muitas palavras disse...

Belo texto!

Carlos disse...

huasuhasu sempre fico impressionado como encaixa bem a imagem com o texto maravilha , muito bom .parabéns..............

teo netto disse...

Que delicia de texto.
um abraço.

Dete disse...

Rita, linkei seus blogs nos meus se quiser link os meus aqui também, o andré sugeriu, ok?
Gosto muito de poesias, apesar que meus blogs são diferenciados, beijos

AnaLua disse...

Que delícia esse poema, leve como flores ao vento, ou melhor, tocadas por brisa.
Beijo!

SAM disse...

Olá Rita!

Linda poesia. Reflete a sensibilidade da sua delicadeza.
A sutilidade das palavras nos versos, são belas coreografias.


Beijos com carinho e um ótimo fim de semana!

OLHOS COM ALMA disse...

Se quiser e puder...
Meus pensamntos...
Os seus são perfeitos...

www.olhoscomalma.blogspot.com

Se apreciar arte...
Os meus quadros...
www.artedecelsomathias.blogspot.com

abs

Hebert Lincoln Carvalho disse...

Olá, Rita!

Navegando
desembarquei no oceano de seus poemas... Adorei!

Também sou poeta. Sinta-se convidada a passear pelo meu blog.

Grande abraço,
Hebert Lincoln Carvalho

DuDu Magalhães disse...

Algumas palavras não precisam ser ditas... elas simplesmente são sentidas...

http://visaocontraria.blogspot.com/

Tipo essas...

"Sou algo estranho, não sei o que sou.
Apenas algo
Que não faz diferença na vida
Que não tem importância
Que não é nada"

da uma conferida no meu blog...
abrass

InNomine disse...

Olá, Rita!

Muito tempo sem passar por aqui. Mas a saudade dá um sabor à mais ao retorno.
Como sempre... está de parabéns!

Lindo poema!
Identifiquei-me. rsrs

Beijos,
Pierre

André L. Soares disse...

Minha linda Rita,... eu que já bailei em seus olhos, em seus beijos, em seus braços,... vivo sempre também no ritmo da sua poesia. 'Bailarinas' é isso,... é o poema que me transporta até você. Beijussssssssss!

Márcia Bia disse...

Obrigado Pela visita ao meu blog, será sempre bem vinda, ainda estou engatinhando nesse assunto, mas vou evoluindo a cada visita, adorei estar aqui, gosto de poesia e quando adolescente costumava brincar com as palavras e saiam poemas lindos. escrevia muito e adoorava, ouvia música , dançava e cantava. Não sei bem quando aconteceu , mas quando me dei conta eu já não escrevia nem rimava, não cantava ou dançava a algum tempo... mas acordei finalmente e não precisei ter um derrame ou alguma doença terminal, não..apenas retomei tudo que gostava de fazer e foi muito bom,estou escrevendo um romance, e ando pensando em escreve-lo em meu blog, só não sei como faço para que ninguém copie e acabe editando algo que eu criei... se tiver alguma dica eu agradeço e aguardo. Beijos! Márcia Bia

Márcia Bia disse...

Obrigado Pela visita ao meu blog, será sempre bem vinda, ainda estou engatinhando nesse assunto, mas vou evoluindo a cada visita, adorei estar aqui, gosto de poesia e quando adolescente costumava brincar com as palavras e saiam poemas lindos. escrevia muito e adoorava, ouvia música , dançava e cantava. Não sei bem quando aconteceu , mas quando me dei conta eu já não escrevia nem rimava, não cantava ou dançava a algum tempo... mas acordei finalmente e não precisei ter um derrame ou alguma doença terminal, não..apenas retomei tudo que gostava de fazer e foi muito bom,estou escrevendo um romance, e ando pensando em escreve-lo em meu blog, só não sei como faço para que ninguém copie e acabe editando algo que eu criei... se tiver alguma dica eu agradeço e aguardo. Beijos! Márcia Bia

0

Em defesa dos Direitos Autorais, a Lei Federal 9.610/98 proíbe expressamente: a) uso comercial dos textos, sem autorização do autor; b) alteração ou criação de obras derivadas; c) exposição dos textos, sem a citação do nome do autor.